04/04/2017

Querido diário, eu acho que consegui.

    ATENÇÃO: O conteúdo presente no texto a seguir é de inteira e total responsabilidade da autora (que no caso sou eu). Qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência, até porque eu estou falando mesmo da realidade.

    Eu acho que consegui. "Mas o que você conseguiu?", vocês devem estar se perguntando. Achar a cura do câncer? A chave para a paz mundial? Um jeito de apagar os erros do passado? Não, não passou nem perto.


    Sempre me importei demais com a opinião dos outros. Inclusive eu tava fazendo um textão aqui pro blog sobre isso, mas acabei transformando o desabafo choroso nesse post aqui. Foram longos anos recebendo olhares tortos, risadinhas e palavras crueis. Isso parou de acontecer? Acho que não. Eu superei? Também não. Mas acho que comecei a perceber que isso é uma palhaçada.

    Eu já percebi que tem lugares e grupos nos quais eu não sou bem vinda (em uns eu até me sinto ridicularizada), mas mesmo que ainda não tenha superado, acho que pelo menos descobri como mudar isso. E como? Uma mudança de atitude. Em vez de chorar e ficar mal pelo que houve, o melhor a fazer é lembrar as coisas boas que eu faço. Não deixar que as palavras dessa gente deixem minha autoestima mais ferrada do que ela já está.
    Eu acho que consegui encontrar o caminho certo pra mudar essa série de bads. Tenho que parar de me ver como o lixo que parecem achar que eu sou. OK, ainda vai ter vezes que o sentimento ruim vai tomar conta e eu vou me pegar chorando e negando, fazendo posts tristes e apagando logo em seguida pra manter a imagem de pessoa alto astral que muita gente tem de mim, mas se eu consigo acreditar em quem diz que sou horrível, também posso acreditar em quem diz que sou maravilhosa.

    O próximo passo? Me convencer de que não tem problema eu gostar do que eu gosto, me vestir como me visto ou falar como eu falo. Aprender a não me privar, perceber que posso ter tanta voz e ser tão válida quanto as pessoas que parecem fazer isso sem esforço. Pode demorar um tempo, mas eu preciso acreditar que eu vou conseguir. E daqui a uns anos, quando meus cabelos estiverem brancos e a memória falhar, meus netos vão achar esse blog e ver o quanto a avó deles era o máximo.

    Querido diário, eu acho que consegui ficar orgulhosa de mim mesma.
Só pra essa foto ter o reconhecimento que merece. Eu arraso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê sua opinião!